EU CRESCI, E VOCÊ?

1-59
Não há, nesse mundo, coisa melhor do que olhar pra trás e ver a quantidade de coisas pelas quais você passou e superou. É bom demais parar dez minutos pra pensar no quanto você evoluiu e cresceu mesmo, aprendendo ou não, o quanto você foi desapegando de coisas que dizia não viver sem, que dizia não ter forças para superar. Ver o quanto você mudou de opinião, que coisas que você jurou jamais fazer, hoje você faz e nem percebe, parece que não tem o mesmo sentido ou um forte sentido. É incrível notar que algumas pessoas que, anos atrás te juraram companhia e fidelidade, ainda estão do seu lado, e é incrivelmente estranho como outras saíram da sua vida e você nem viu, nem mesmo as percebeu. A gente vai desapegando tão lentamente de algumas coisas que quando vê, já era. É tarde demais. Quando vê, você já ama outra cor, outro cheiro, outras músicas e tem outros hábitos. De repente seu filme favorito não é mais o mesmo que você dividia com aquela pessoa, e nem sequer do mesmo gênero ou coisa assim. Quando você olha ao redor, tem gente de menos, e que aquelas que você julgava ‘amigos’, hoje, estão em caminhos totalmente diferentes do seu. Você aprende que as decepções são reais, mas não desmerecem as pessoas, pois elas s[o te dizem o quanto você se importava. Quando percebe, seu ‘bom dia’ corriqueiro pertence a outros, já não te faz mais lembrar um “bom dia” tão esperado por alguém, mas também não te faz tanta recordação. Percebe que está sobrando espaço para companhias e que seu coração ficou grande demais pra pequena quantidade de pessoas que restam na sua vida. Percebe que não importa o tempo, a distância ou o grau de importância que você dá para alguém, simplesmente, ela continua com você, mas as pessoas, elas vão embora. Um velório passa a ser menos triste que um pensamento desse, mas te torna mais vivo. Quando você para pra pensar, nota que qualquer motivo, por menor que seja, é sinônimo de juntar a turma e sair pra beber, na tentativa de preencher algum vazio aí dentro. Percebe que não importa quantas piadas você faz por dia pra tentar se alegrar ou se distrair, à noite, você continua sendo ridiculamente sozinha. Percebe também que o colo da sua mãe ficou pequeno demais pra te confortar, e que seus problemas, agora são ‘problemas de gente grande’ e que o pequeno agora é você. Você olha em volta e, por segundos, vê que quase tudo tomou outra forma, que muita coisa que era divertido, pra você, ficou chato e tantas coisas te faziam rir, hoje simplesmente não causa mais nada. Mas ainda é gratificante comparar o ontem com o hoje e ver o quanto cresceu e nem notou, o quanto o tempo fez bem para você e para tudo aquilo que está ao seu redor. E não tem outro jeito, o tempo vai continuar te fazendo bem, porque crescer é infinito. E que não importa se você é adepto ou não às mudanças, muita coisa vai mudar. Muita coisa já mudou. Eu cresci e você?
— Manoel Messias Meditando o texto- Motivando.
Anúncios

2 opiniões sobre “EU CRESCI, E VOCÊ?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s