A POLÍTICA É O PÃO NOSSO DE CADA DIA

Relações Públicas Manoel Messias da Silva

28/06/16

A melhor forma de expressar nossa indignação é mostrar a nossa dignidade e isso não é apenas deixar de votar em um ou outro candidato. Particularmente penso que esta seja a forma menos eficiente. Não ser responsável pela política. Quando deixamos de votar, estamos assinando uma procuração em branco, deixando de tentar eleger alguém que tenha uma visão aprofundada sobre problemas essenciais e que seja a encarnação de um projeto coletivo. Esse me parece ser o grande problema da política contemporânea, principalmente das realidades que emergiram do mando dos coronéis. Muitos pensam assim: Quando pensamos em votar, votamos em uma pessoa e não em um projeto, ao menos em uma pessoa que tenha projetos. Porém, essa ideia tem a concepção de que legislar uma cidade cabe unicamente ao representante que confiei o meu voto, aquele político, aquela figura. É uma atitude típica de Pilatos. Votei (lavei minhas mãos) agora resolvam por mim. De resto, tudo o que acontecer não é culpa minha, pois votei em quem tinha que ser votado para melhorar a cidade. Assim não estamos nos alimentando, mas apenas sugando a figura política.

Votar em alguém é importante. Muitos morreram para que tivéssemos esse direito garantido. Muitos desapareceram nos porões da ditadura para que hoje deixássemos de votar, só porque alguns políticos (sim, pois existem políticos sérios, honestos e com interesses essencialmente republicanos) fazem da política uma questão privada? Obviamente que não. A mídia, que cotidianamente apresenta casos de corrupção (casos reais, diga-se) tem interesse em demonstrar apenas isso para esvaziar a política e resumir a mesma ao que se faz no parlamento. Política não se resume aos políticos e suas ações, a política é nossa alimentação de cada dia. Nós fazemos políticas desde o momento em que acordamos e vamos dormir. Então, se vocês estão descontentes com a estrutura e a política que por aí se desenvolve e nos é apresentada, indignem-se sim, gritem sim, proteste sim, mas votem!!! Mas vote em um projeto de sociedade e não em alguém que individualmente diz que vai resolver o problema da cidade. O problema da cidade se resolve quando todos colaboram.

A política é sim o nosso alimento, todos nós fazemos política. Cada partido tem um ideal comum que sempre resume o bem para o outro, apenas as prioridades são escolhidas. As eleições são esse limite de nossas escolhas e assim o nosso voto faz contribuições sinceras para essas escolhas.

Anúncios